As 4 formas como a sua presença nas redes sociais afeta o SEO da sua empresa

O número de likes e followers da sua página é relevante para o Google? Cada partilha que fazem no Facebook ou LinkedIn é mais um voto positivo para a sua empresa ocupar o primeiro lugar? Saiba como descomplicar a relação das redes sociais com o SEO.

A social media é fundamental para o SEO de mais do que uma maneira. Em 2018, o número de utilizadores de redes sociais ultrapassa os 3.1 milhares de milhão. Mas, se se reconhece esta esfera massiva de atividade, é certo também que existe muita confusão sobre a forma como o que aí se passa influencia a vontade dos negócios aparecerem na primeira página dos motores de busca.

Ao contrário do que é muitas vezes pensado, as redes sociais não impactam diretamente o SEO. Ou seja, o seu número de followers, likes, comentários e partilhas (chamados social signs) não fazem parte do algoritmo que estabelece quem está em primeiro, segundo ou décimo lugar.  A Google explicou que isso seria muito fragilizante para o seu motor de busca, na medida em que é fácil falsificar todos esses tipos de atividade através de bots.

No entanto, isto não é dizer que os esforços em social media são perdidos — pelo contrário! Indiretamente, as redes sociais são dos elementos mais valiosos para o SEO, ao maximizarem a exposição, reconhecimento, tráfego e engagement com o seu website.

As mais de 500 alterações feitas em média por ano pela Google ao seu algoritmo são sinais de esforços para tornar as suas páginas de resultados o mais eficientes possível. Assim, todos os pacotes de alteração ao seu algoritmo tem como objetivo, entre outras coisas, penalizar práticas consideradas antiéticas como a multiplicação automatizada de backlinks pela internet. O problema dessas práticas — e é essa a razão pela qual são condenadas — é que vão contra o propósito da Google: esquecem o consumidor, na medida em que deixam de se preocupar em ter conteúdo de qualidade e que realmente acrescenta valor à sua experiência online.

Comecemos pelo princípio.

O que é o SEO?

SEO é a sigla para Search Engine Optimization, ou seja, Otimização relativa a Motores de Busca. Motores de busca são compostos por software que vasculham a internet em busca de sites, documentos ou ficheiros com base em palavras-chave pesquisadas pelo utilizador. Hoje, com variações de país para país, o Google é ainda assim o motor de busca mais utilizado, seguido pelo Bing, e com o Yahoo em terceiro.

A questão é que a forma como os motores de busca estabelecem as posições dos resultados na página (ou SERPs, Search Engine Results Page) não se baseiam apenas em palavras-chave e a importância que a posição da sua empresa ocupa no ranking determina ser conhecido, não ser conhecido, ganhar um cliente ou perdê-lo. A otimização da posição da sua página no ranking é a prioridade principal do SEO. Mas, infelizmente, um dos grandes mistérios da internet é a forma como a Google estabelece o seu ranking de páginas.

Ninguém sabe com exatidão o peso e medida dos critérios que o algoritmo utiliza. Sabe-se, no entanto, que valoriza métricas standard de tráfico com a taxa de rejeição do seu site (ou bounce rate), o número de sessões e utilizadores, o tempo que os clientes lá passam, a qualidade dos links para o seu site pela internet, a sua manutenção e atualização, a utilização de protocolos de segurança como o https://, e em grande medida, a qualidade do conteúdo que publica. Se anteriormente eram vários os projetos que prometiam contornar estes critérios com a criação de milhares de links para o seu site em pouco tempo, hoje, o processo de rastreamento da Google não só está atento a esses procedimentos como penaliza as páginas que o fazem.

Não vale a pena tentar convencer a Google de que se tem bom conteúdo quando não se tem. A cada ano que passa, os seus engenheiros fazem modificações no seu algoritmo cerca de 600 vezes! Alguns são pequenas melhorias, outros são grandes reviravoltas como update Panda, Penguin ou Pigeon. Entre as atualizações recentes é de destacar a indexação mobile-first na qual os SERPs são devolvidos com os resultados melhor otimizados para ambientes de dispositivos móveis como tablets ou telemóveis. Porquê? A verdade é que, hoje, perto de 60% das buscas são feitas em dispositivos móveis, segundo a Google. No entanto, ainda que a maior parte do tráfico pareça ser feita em mobile, continua a ser em ambiente desktop que os utilizadores têm sessões e visitas mais longas.

Ao perceber os benefícios que poderão advir da boa gestão de redes sociais, com base em estratégias de conteúdo positivas, vai perceber porque não deve deixar a gestão de redes sociais tornar-se um elemento mais fraco da sua empresa, sem recursos significativos e depositados num furos de horário de uma posição de menor responsabilidade. Aqui estão as 4 formas de como a sua presença e atividade nas redes sociais podem potenciar um melhor SEO.

1. Aumento de tráfego para o seu website

Enquanto a Google já referiu algumas vezes que as redes sociais e social signs não são um fator de ranking, é certo que são elementos que têm impacto indiretamente. O que queremos dizer? Bem, se por um lado o gigante já esclareceu que as partilhas feitas nas redes sociais não são considerados links individualmente, e as páginas são consideradas como qualquer outra página web, a verdade é que existe uma correlação difícil de contornar com as redes: normalmente os websites com as melhores posições num ranking de motor de busca são também os que mostram os melhores níveis de social signs. No entanto, não podemos afirmar tratar-se uma relação direta: a boa posição de dada companhia e a sua presença também positiva nas redes sociais são esforços holísticos que se revertem potencialmente em todos os canais de uma marca. Por outras palavras, se a sua marca é tida como positiva e relevante, é seguro afirmar que será vista como positiva e relevante em vários canais: website oficial, instagram, facebook, alavancando uma melhor posição destes elementos no ranking de forma coletiva.

Ou seja, a criação de conteúdo que atraia e fidelize clientes é a receita para ser popular tanto num elemento como noutro. O que acontece nas redes sociais é que conteúdo se desloca rapidamente através de gostos e partilhas, e menções. Quanto mais partilhas, mais oportunidades para que o seu conteúdo seja visitado e partilhado de novo, o que gera mais tráfego no seu website — um dos mais sólidos fatores de posicionamento nas SERP’s. Ainda assim, a Moz argumenta que não são (apenas) as partilhas, mas as taxas de clique o fator mais relevante.

2. Maior distribuição e tempo de vida dos conteúdos

A principal forma da social media impactar o seu resultados nos motores de busca é através da promoção de conteúdo que levará potenciais clientes para o seu site através de diversos canais.
Se o conteúdo que produz se tornar popular — seja vídeo, escrita, infografias, etc — as chances de ser partilhado aumentam, o que lhe traz mais links para o seu website e portanto mais chances de ser conhecido e visitado. Quanto mais sites ou blogs referirem o seu site, mas credibilidade terá junto dos motores de busca. Este processo aumenta o seu ranking na página de pesquisa.

Por outro lado, se tradicionalmente — leia-se antes da proliferação das redes sociais — uma publicação num blog ficava acorrentada ao momento em que era publicada e aos próprios motores de busca, hoje isso não acontece. A publicação via redes sociais permite re-publicar e ressuscitar os seus conteúdos que antes se tornariam difíceis de encontrar porque estariam perdidos no arquivo do seu blog, na página 12, por exemplo. Ou seja, desta forma não só aumenta o seu controlo sobre a distribuição do seu conteúdo, como aumenta o seu tempo de vida útil.

3. Aumento de Autoridade, Credibilidade e Reconhecimento

Os motores estão pensados para reagirem positivamente a métricas de marketing também positivas. Ou seja, quanto mais reconhecida for a sua marca, melhor será o seu posicionamento, numa relação que se manifesta em taxas de maior click-through rate, por exemplo.

Ou seja, outra das formas que as redes sociais podem ajudar o SEO da sua empresa é por ser capazes de potenciar reconhecimento e credibilidade maiores. Se publica bom conteúdo original e de qualidade continuamente, a sua autoridade sobre o tema vai aumentar ao longo do tempo, através de votos positivos em forma de backlinks e visitas.

Além disso, imaginemos que tem uma empresa chamada K-TOWEL de toalhas de praia e o conteúdo que publica incide sobre esse tema. À medida que a sua presença se torna consistente e o reconhecimento aumenta, é provável que as pessoas comecem a procurar “K-TOWEL toalhas de praia”. Esta associação — chamada branded search — estimula o algoritmo a relacionar a sua marca com essas palavras chave de forma a que uma vez que seja pesquisado apenas “toalhas de praia” (i.e. non branded searches) o seu website seja trazido para cima nos rankings.

4. Melhoramento do SEO local

A distância faz parte dos parâmetros que o algoritmo do Google incorpora. É este aspeto que garante que quando é português e faz uma pesquisa em Portugal os resultados são direcionados, e o mesmo acontece para alguém que faz uma pesquisa noutro ponto do globo, com base na informação que o Google tem sobre a sua localização habitual.

Já terá reparado que quando procura o nome de uma empresa, além do seu site é frequente aparecerem os seus endereços de redes sociais, publicações ou reviews na própria página de resultados. Mas como é que estes foram parar ao ranking?

A Google tem o seu próprio reservatório de reviews sobre negócios, como o Google My Business, mas, além disso, também os recolhe noutro sites como Facebook para exibição na página de resultados. Estes comentários e avaliações impactam o ranking local. isto é, negócios com um maior número de reviews positivas terão um melhor posicionamento. Mais uma vez, trata-se de princípios de marketing aplicados pelos motores de busca de forma a privilegiar fontes de informação independentes e confiáveis — os clientes.
Assim, além de manter consistente entre a informação disponibilizada sobre o seu negócio (telefone, morada, palavras-chave), é uma boa prática incentivar os clientes a deixarem comentários e responder àqueles que fazem críticas negativas.

Em suma, ainda que a social media não seja um fator direto de posicionamento nas páginas de pesquisa, os seus efeitos são extremamente importantes para o sucesso da sua empresa, em termos de SEO. É improvável que algum dia se venha a saber rigorosamente como é composto o algoritmo da Google, por exemplo, mas para já, não só para os motores de busca mas também para os seus clientes, é fundamental que tenha uma estratégia de conteúdo diferenciadora como fundação da atividade da sua empresa.
Além dos responsáveis de marketing, conteúdo de qualidade é o elixir que toda a internet procura.
2018-06-18T14:48:45+00:00 Junho 18, 2018|Fundos Estruturais, Portugal2020|0 comentários

Deixe Um Comentário