120 milhões euros para formação qualificada para empresas

Fundos europeus: 120 milhões euros para formação qualificada nas empresas

O Governo anunciou um programa de formação no valor de 100 milhões de euros dirigido às empresas na área da indústria de forma a minimizar os custos de produção devido ao aumento do custo da energia. O executivo vai ainda reforçar mais 20 milhões de euros num programa de formação e requalificação em competências verdes dirigido para todas as empresas.

No âmbito do pacote extraordinário de apoio às empresas, o Governo anunciou um programa de formação qualificada no valor de 100 milhões de euros. Esta é uma das medidas que faz parte de um pacote global de 1.400 milhões de euros aprovado na semana passada em Conselho de Ministros.

Programa exclusivo para o setor da Indústria
Este apoio destina-se apenas às empresas do setor industrial e será executado “no contexto da produção, no local de trabalho, para manter a atividade das empresas e para elas contribuírem para as exportações”, de acordo com João Neves, Secretário de Estado da Economia, em entrevista ao jornal ECO - Economia Online.

Estes 100 milhões de euros são financiados por fundos comunitários, nomeadamente pelo Fundo Social Europeu no âmbito do Compete. Mas a medida é repartida pelos dois quadros comunitários: 20 milhões são financiados pelo Portugal 2020 e 80 milhões pelo Portugal 2030.

Medida pretende dar resposta aos custos de produção elevados face ao aumento de preços da energia
O Secretário de Estado da Economia explicou ainda que este mecanismo pretende funcionar como um alívio de tesouraria e dos custos fixos das empresas e que este programa é uma resposta específica às necessidades de planeamento da produção que está a ser afetado pelas alterações de preço das fontes energéticas ao longo do dia no setor. “Muitas empresas estão a fazer um ajustamento dos seus planeamentos de produção, por vezes concentrando as suas atividades em menos dias, até para aproveitar os fluxos de produção de forma mais eficiente, e a parar um dia por semana. E é nessas paragens que entra a formação que aproveita as horas vazias para encontrar formas de melhorar a capacidade e as competências dos trabalhadores, para que tenhamos no futuro empresas mais competitivas”, explicou o Secretário de Estado da Economia, João Neves.

PME’s podem apresentar projetos de formação autónomos
As grandes e médias empresas, ou seja, com mais de 50 trabalhadores, podem apresentar projetos autónomos de formação, enquanto as pequenas e micro empresas podem apresentar projetos conjuntos de forma a reunirem condições para que possam usufruir deste tipo de formação.

Mais 20 milhões de euros para formação em competências verdes
As restantes empresas poderão ainda usufruir de um pacote de formação em energias verdes e transição digital. Um reforço no valor de 20 milhões de euros que será disponibilizado até ao final de outubro através de verbas financiadas pelo IEFP e que abrange trabalhadores e desempregados. “É uma formação muito orientada para as questões à volta da transição energética sendo que o número de pessoas previsto para essa ação de formação ronda as dez mil”, revelou João Neves.

Andreia Arenga

Partilhar

2022-09-28T10:24:48+01:00