Portugal2020: números e exemplos de projetos aprovados — para acabar com as dúvidas

Com 4 anos de existência, o Portugal 2020 já apadrinhou milhares de projetos, de maior ou menor dimensão. Com 59% dos fundos já condicionados, ainda são múltiplas as oportunidades de financiamento. Mas, com um programa tão vasto e complexo pode ser difícil — ou até intimidante — acompanhar os resultados das candidaturas. Encontre aqui o precisa de saber.

De acordo com o Boletim Informativo dos Fundos da União Europeia, no final do ano de 2017, o Portugal 2020 atingiu 59% da atribuição de fundos disponíveis, cerca de 15.9 mil milhões de euros, tendo sido atribuídos cerca de 6,3 mil milhões. No mesmo período, a taxa de financiamento média sobre o investimento elegível situava-se nos 68%.

Confuso? Bem, o programa, que totalmente engloba mais de 25 mil milhões de euros, aponta hoje, segundo o Expresso, para 40% de taxa de aprovação. Os apoios foram direcionados para mais de 12 mil empresas, das quais, segundo a mesma fonte, a maior parte nunca foi beneficiária de fundos deste género. De facto, são não só as PME quem lidera as aprovações aos incentivos mas também a quem se dirige a maior parte dos programas de incentivo. Além disso, é na chancela da competitividade e internacionalização onde se encontram os números mais representativos, com as PME a ver 25% do total de fundos aprovados, à frente do desenvolvimento rural com 20%.

Abaixo, encontre, por setor, exemplos de projetos financiados com base nas listagens oficiais. A listagem não obedece a nenhum critério em particular, procurando dar-lhe uma noção do amplo espectro de projetos (e quantias) elegíveis nos programas a concurso.

Hotelaria

A hotelaria é uma das grandes estrelas do Portugal 2020, especialmente na região Norte.

O Oporto Boeira Garden de 5 estrelas, em Vila Nova de Gaia, compreende o maior investimento: cerca de 19 milhões de euros. Seguem-se o Neya Porto Hotel, o Monumental Palace Hotel e o Hotel Palácio dos Ferrazes, todos acima dos 10 milhões de euros de financiamento. O hotel A Brasileira, também no Porto, aproxima-se dos 9 milhões de euros em financiamento. Já no Algarve, destacamos o projeto para o Hotel Salus de 5 estrelas, em Portimão (8 milhões) ou o Júpiter Albufeira Hotel, reconvertido para 5 estrelas, num projeto de 6 milhões de euros.

Mas não são é só a grande hotelaria a grande beneficiária. São muitos os pequenos espaços de alojamento temporário que veem as suas candidaturas aprovadas. Exemplos disso são os apartamento Villa Mouzinho, no Porto, a Quinta do Moinho — Alojamento Local e Eventos (40 mil euros), alojamento náutico na Ria Formosa, o Hostel SFC, em Silves, (cerca de 40 mil euros), apartamentos VilaRosa, em Portimão (500 mil euros), a Casa Quinta de São Bernardo (180 mil euros), em Mesão Frio, o Art Hotel Santa Luzia (100 mil euros) ou o projeto Little Green Valley (15 mil euros), em Terras de Bouro.

Cultura, Lazer e Criatividade

O setor cultural e de lazer revela uma grande diversidade de iniciativas apoiadas pelo Portugal 2020, naturalmente conforme o investimento necessário. A Go Zero, por exemplo, é uma rede de disponibilização de scooters elétricas para turistas, com um apoio de cerca de 140 mil euros, no Algarve. Por outro lado, a Algarve Riders (de financiamento acima dos 250 mil euros) é um projeto focado em “experiências sobre rodas” que comercializa pacotes inovadores para conhecer o algarve. Em Amarante, o MIMO Festival, um festival de música e cinema, já contou com apoios do 2020 também, angariando, em 2017, cerca de 85 mil euros. No Porto, além do Festival Internacional de Circo, é de notar também o Vaudeville Rendez-Vous – Festival Internacional de Artes Performativas, com cerca de 250 mil euros.

O famoso Hard Rock Cafe Porto angariou mais de 2 milhões e meio entre esforços de internacionalização e competitivade. A Prinçipal Magazine é exemplo singular de uma publicação trimestral sobre moda portuguesa, apoiada após candidatura ao Portugal 2020, com distribuição internacional gratuita.

Também o Centro de Artes Graça Morais viu a sua candidatura para o Encontro das Artes aprovado com mais de 500 mil euros, pelo Município de Vila Flor. Em Bragança, a câmara municipal anunciou a aprovação do Museu da Língua Portuguesa, num apoio de mais de 600 mil euros, para um projeto avaliado em cerca de 7 milhões de euros. Além da modernização do Museu Nacional Soares dos Reis, também em Moncorvo, a candidatura para criação do Museu do Castelo venceu apoios, com cerca de 500 mil euros aprovados.

A barroca e portuense Igreja de Santa Clara venceu apoios de cerca de 2 milhões de euros para o seu projeto de reabilitação. Numa quantia mais modesta, a igreja da Misericórdia de Penafiel conta com 500 mil euros para a sua reabilitação, conservação e restauro, enquanto a Misericórdia de Santa Maria da Feira chega a mais de 1 milhão e meio para o seu projeto de obras.

Contudo, mais uma vez, não são só os grandes projetos e promotores os beneficiários. Pelo contrário, são inúmeros os apoios a indíviduos a título pessoal e micro ou pequenas empresas. Exemplos disso são a Ludomedia, Gio Rodrigues, Sofia Godinho, BMB Jewels ou Paulo Antunes.

Educação e Formação

Entre ações de formação, contratos de emprego (IEFP) e criação e recuperação de pólos educativos, a educação é um dos principais vetores do programa Portugal 2020. No Porto, a Porto Design Factory receberá mais de 1 milhão de euros de auxílio à sua missão enquanto plataforma educativa e experimental. Dentro do setor de transferência de conhecimento, a Lab2Business, projeto entre a UTAD e Católica do Porto, conta com 500 mil euros aprovados, um projeto próximo ao da Cria Start+ ou CriaTech, da Universidade do Algarve, do Support2LiftOff – Empreendedorismo Universitário, da UP, ou do INOV@UTAD, apoiado em cerca de 600 mil euros. Outro exemplo é o Douro Creative Hub, cuja missão é dinamizar e promover as indústrias criativas da região. O projeto foi financiado com cerca de 460 mil euros. Numa outra escala de investimento e ação, Trás-os-Montes anunciou um investimento de 6 milhões de euros na área da educação com vista a fixar a sua população e diminuir as suas taxas de abandono escolar, no plano PIICIE – TTM.
No que toca a requalificação de escolas, são dezenas de projetos aprovados, só na zona Norte. Por exemplo, a requalificação da Escola Básica 2,3 de Paredes de Coura, num apoio de perto de 2 milhões de euros, amplifiação e reabilitação da EB 2,3 de Amares em 2 milhões de euros, ou a Escola Básica e Secundária Sidónio Pais em Caminha.

Indústria

Como nos restantes setores, os projetos que encontramos na Indústria são muito distintos na sua escala e âmbito. Na maior parte dos casos — respeitante a pequenas empresas — encontramos projetos aprovados dentro da elaboração de planos de negócios, marketing, ou criação de elementos de marketing como identidade gráfica, websites ou materiais promocionais. Encontramos também os grandes nomes da economia portuguesa como a Amorim Cork, a Navigator Company, com a construção de uma nova fábrica, a Sonae, ou a farmacêutica Bial no setor da investigação, ao lado de inúmeros projetos de dimensão micro e unipessoal.
A Smart Feeder representa um investimento dentro da tecnologia automatizada para criação de gado, apoiado em cerca de 60 mil euros. A Norbags, produtora de sacos de papel com 30 anos, beneficiou de um apoio de mais de 150 mil euros como estímulo à competitivade e internacionalização.
A Serralharia Cormac, a Sandokan, e Imozeto, Muski Design Studio e SEE.ARCH são exemplos de projetos que se situam em valores menores, alguns deles via vale incubação.

Um check-up gratuito com a Start-PME é uma forma, sem compromisso, de perceber de que forma a sua empresa ou projeto pode beneficiar de que tipo de apoios, dentro ou fora do Portugal 2020. Não perca tempo e oportunidades. Comece agora.

2018-06-06T10:54:46+00:00Junho 6th, 2018|