Criatividade e Inovação: a aliança perfeita para o desenvolvimento de um negócio

A sustentabilidade de uma organização empresarial, assenta num conjunto diversificado de elementos, contudo, dois dos constituintes mais importantes, como é o caso da criatividade e da inovação, recebem por parte dos gestores uma atenção mais deficitária. Sem a participação ativa destes dois elementos no âmbito da gestão da entidade empresarial, a prospeção futura do negócio encontra-se ameaçada. Deste modo, a combinação destes dois elementos representa um dos alicerces mais importantes para garantir a sustentabilidade futura da empresa ou negócio. Atualmente, ainda existe uma grande relutância por parte dos gestores em fornecer liberdade aos seus colaboradores a nível de criatividade e de inovação, o que prejudica o funcionamento do ambiente de trabalho.

O que é a Inovação?

O conceito de inovação define-se como a transformação metódica do conhecimento, em novos produtos, processos ou serviços, sendo comummente utilizado no âmbito empresarial. Deste modo, no contexto do ambiente empresarial, o termo inovação alberga a necessidade de criar caminhos ou estratégias alternativas às existentes com o desígnio de atingir um determinado objetivo. Inovar consiste assim em inventar, quer sejam ideias, processos, ferramentas ou mesmo serviços.

O que é a Criatividade?

O termo criatividade consiste no processo através do qual as ideias são concretizadas, ou seja, representa a habilidade de criar algo ou o potencial criativo de uma ideia. Este conceito pretende encontrar metodologias ou objetos, com o desígnio de executar tarefas de uma forma diferente da habitual de modo a satisfazer as necessidades evidenciadas pelos demais. A criatividade permite concretizar as demandas da sociedade de uma forma mais rápida, fácil, eficiente e económica.

Em suma, a inovação consiste na aplicação da criatividade numa tarefa útil, relevante e diferenciadora. Um exemplo passível deste facto é o seguinte: no caso dos Post-it, a criação da cola, revelou-se um processo criativo, contudo a sua aplicação prática foi um caso de inovação.

Está assim evidenciada a relação intrínseca existente entre ambos os conceitos.

Princípios no âmbito da Inovação

Apesar de o conceito de inovação ser linear, é primordial delimitar um conjunto de princípios que contribuem para que esta seja realizada de forma positiva e sustentada. Os cinco princípios básicos do conceito de inovação são os seguintes:

• Disposição Mental: para um empresário apostar na capacidade criativa, deve delegar algumas das tarefas operacionais a ser cargo, de modo, a conseguir tempo e energia para se dedicar a esta atividade;
• Crença de que a inovação é o elemento chave para a diferenciação entre empresas no mercado comercial: a inovação permite às empresas serem diferentes e destacarem-se no mercado, sendo que o desenvolvimento de novos produtos ou serviços, deve ser parte central da estratégia de negócios de uma empresa;
• Perceção da inovação como fator estratégico de visibilidade: a inovação bem gerida e bem aproveitada, contribui para uma melhor simpatia para com a entidade empresarial, para a adesão fiel dos clientes, bem como, para uma maior visibilidade no mercado relativamente aos demais concorrentes;
• Patrocínio à inovação: este principio do conceito de inovação prevê a existência de estímulos à inovação numa empresa, como por exemplo: prémios, apoio moral, disponibilização dos recursos necessários, assim como a partilha de lucros, elogios e demais agradecimentos;
• Ações de apoio à inovação: um dos requisitos do papel de um gestor de uma empresa, prende-se com a valorização das ideias dos colaboradores, fornecendo espaço a estes quer para o insucesso quer para o erro.

Instrumentos com o desígnio de estimular a Criatividade

Com o objetivo de criar uma cultura de inovação e criatividade, elementos essenciais para a sobrevivência futura de um negócio, podemos destacar um conjunto de ferramentas passíveis de utilização por uma empresa de modo a almejarem o desígnio proposto. O conjunto de instrumentos com o desígnio de estimular a criatividade é o seguinte:

• Design Thinking: o foco deste instrumento prende-se com os processos de inovação do utilizador, ou seja, consegue auxiliar na criação de uma experiência de consumo, a qual seja altamente atrativa do ponto de vista do cliente. A sua difusão nos últimos tempos, relaciona-se com a sua adaptabilidade às empresas de tipologia startup;
• Diagnóstico da Inovação: antes da decisão de aplicar uma estratégia de inovação, é imperial compreender a visão de gestores e colaboradores acerca desta problemática. Para perceber a visão dos elementos da organização empresarial é possível realizar um conjunto de questionários, os quais apresentam questões relacionadas com a inovação, sendo assim possível extrair os dados necessários que permitem decidir a melhor abordagem de inovação a adotar por parte da entidade empresarial;
• Mapas Mentais: os mapas mentais constituem ferramentas importantes para estimular e organizar as ideias inerentes aos processos criativos. Funcionam como uma técnica que consegue transformar qualquer tipologia de ideia ou projeto em grandes mapas gráficos, nos quais todos conseguem percecionar as conexões e relações;
• Brainwriting: o brainwriting constitui uma ferramenta mais dinâmica, aquando comparada com as restantes na medida em que, o seu funcionamento decorre como uma espécie de jogo;
• Oportunidades de enriquecimento relativamente a conhecimentos: a criatividade representa um elemento que depende essencialmente da quantidade de conhecimento que as pessoas possuem relativamente ao seu negócio, todavia, esta também pode ser estimulada pelas coisas que as pessoas apreendem no decurso do seu quotidiano. Deste modo, torna-se fundamental garantir que a sua aprendizagem ocorre sem quaisquer problemas, através do investimento por parte das entidades empresariais em momentos, nos quais as pessoas consigam aprender e atualizar os conhecimentos previamente existentes. Um exemplo da utilização desta ferramenta é o seguinte: a disponibilização por parte da organização empresarial de uma biblioteca com publicações relacionadas com a atividade produtiva da empresa, com o intuito de os colaboradores utilizarem o espaço quer para levar os livros para casa, quer para ler os documentos durante a hora de almoço. A implementação de um banco de ideias e de materiais digitais oriundos quer de trabalhos previamente realizados quer de referências na área de atividade representa uma boa fonte de conteúdo para estimular a criatividade dos colaboradores.

Patrícia Neves

Partilhar

2021-10-01T13:08:59+00:00
Go to Top